Você sabia ?

Alinhamento

Para que um equipamento consiga trabalhar com eficiência e tenha uma vida útil prolongada, é necessário que todas as suas partes móveis, sobretudo os eixos, estejam dentro de padrões aceitáveis de alinhamento e balanceamento.

O desalinhamento é uma divergência entre as linhas dos eixos do motor e da maquina acionada.

Existem basicamente três tipos de desalinhamento: Paralelo, angular e combinado.

Estudos apontam que mais de 50% das paradas de máquinas nas indústrias brasileiras acontecem por causa de problemas relacionados à problemas no alinhamento dos eixos. Acredita-se que 90% das máquinas funcionam fora das tolerâncias de alinhamento recomendadas. O desalinhamento dos eixos pode trazer prejuízos à vários componentes mecânicos, como:

Rolamentos: a parte de uma máquina que mais sofre com o desalinhamento de um eixo são, com certeza, os rolamentos. Quando o eixo está desalinhado, ele aplica no rolamento um esforço que muitas vezes ele não foi projetado para suportar (os rolamentos mais utilizados são os rígidos de esferas, eles não podem suportar cargas axiais).

Vedações: os elementos vedantes não conseguem o contato ideal com o eixo. Isto causa um desgaste excessivo à uma determinada parte do elemento vedante o que faz com que ele deixe de exercer sua função, originando vazamentos e contaminações. Um eixo desalinhado pode causar uma redução de até 70% da vida útil de um retentor, por exemplo.

Acoplamentos: os acoplamentos são os responsáveis por proporcionar a ligação entre o motor e a máquina movida. Muitos acoplamentos conseguem absorver, ou melhor, compensar pequenos desalinhamentos (são chamados de flexíveis). Tanto os acoplamentos flexíveis, quanto os acoplamentos rígidos devem trabalhar em eixos que estejam perfeitamente alinhados. O desalinhamento pode causar superaquecimento nos acoplamentos, o que pode causar ressecamento das partes de borracha que são comumente utilizadas nestes elementos afim de amortecer esforços.

Motores elétricos: o momento em que um motor elétrico consome mais energia é durante a sua partida do estado de inércia, o desalinhamento dificulta a sua colocada em funcionamento, fazendo com que a sua corrente de partida suba muito, o que pode causar problemas no dimensionamento dos dispositivos de proteção. Além disso, quando um motor elétrico é montado desalinhado em relação ao eixo movido, ele consome mais energia para realizar seu trabalho. Como consequência temos um gasto maior na conta de energia elétrica. O correto alinhamento pode reduzir o consumo de energia em até 15%, talvez até mais.

Estes são apenas os principais problemas ocasionados pelo desalinhamento. Em um conjunto mecânico acontece o que chamamos de efeito dominó, quando um componente está apresentando falha ele acaba prejudicando os demais elementos da máquina durante seu funcionamento.

Existem os seguintes métodos de alinhamento:

Alinhamento utilizando régua, Alinhamento com relógio comparador, Alinhamento a laser.

Utilizando qualquer um dos métodos descritos, provavelmente será necessário acrescentar calços embaixo dos pés do motor. São utilizados, de maneira errada chapas de aço comum, folhas de papel, pedaços latas de eletrodo, chapas de cobre, etc. como calços, pois, estes materiais podem enferrujar, rasgar, embolar ou amassar e prejudicar o alinhamento. Existem calços de aço inox que possuem o formato e a espessura ideais para o serviço.

A RF Soluções Industriais desenvolve os calços com a espessura e formato ideal para o seu serviço, fabricados em aço inoxidável para evitar problemas como os descritos acima.